Seguidores Queridos

terça-feira, 26 de maio de 2009

Mona Lisa e sua aura. Aura???




Durante as aulas de Dimensão Estética da Educação, o professor, Edvaldo Couto, falava sobre a questão da aura, tomando com base os conceitos que Benjamin traz. Discutimos sobre a Mona Lisa (conhecida como La Gioconda ou Mona Lisa del Giocondo), obra do pintor italiano, Leonardo da Vinci. Percebemos que nela está posto a ideia da aura, como "uma figura singular composta de elementos espaciais e temporais." (p. 170). Atrela-se a isso, o belo, o intocável, o irreprodutível.


Em "A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica" , no pensamento de Benjamin, a idéia de beleza está relacionada à ideia de "invólucro" que encobre a obra de arte e mantém a essência da beleza inacessível. A beleza da obra de arte, assim, reside em sua essência misteriosa. O autor diz que o belo é o objeto que "permanece misterioso por conta de seu invólucro". A aura equivale a este véu ou invólucro que exprime o belo preservando a inacessibilidade da própria essência da beleza: "o que se atrofia na era da reprodutibilidade técnica da obra de arte é sua aura" (p. 168).


E quanto ao declínio da aura? O valor do culto e de eternidade, onde se encaixam? Mais especificamente me direciono para a obra Mona Lisa.


Abaixo veremos que o culto e a aura, em a Mona Lisa, se perdem com "cópias" ou reproduções voltadas para a sátira.













2 comentários:

  1. Ehhhh!
    Olha eu aqui.

    PS: blogdawillima.asdras@astecas.com

    :)*

    ResponderExcluir
  2. Olá, passei para dar um aolhadinha em seu blog, muito interessante. Parabéns.
    Abraços

    ResponderExcluir